7 Dicas para fazer um planejamento financeiro INFALÍVEL

 

O planejamento financeiro é de grande ajuda para fazer o controle de suas finanças. Nada mais é do que a organização de todos seus gastos e receitas passadas, persentes e futuras. Desta forma você evita fazer compras por impulso, que possam te endividar futuramente.

 

1 – Tenha um objetivo

 

Fazer uma lista com todos os seus gastos e depois descontar da sua renda mensal é de boa ajuda, porém, uma maneira mais simples de organizar as suas finanças e manter um orçamento equilibrado é a aplicação de metas.

Quando você implementa metas no seu orçamento fica muito mais eficaz do que somente reduzir gastos para alcançar seus objetivos.

No caso de famílias, é importante que seja feita uma conversa para definir as metas e o tempo previsto para alcançá-las.

Quando se utiliza os sonhos de família como base, fica mais fácil de criar essas metas, pois com isso só é preciso traçar os objetivos a serem cumpridos para alcançá-las.

 

2 – Controle os grandes gastos

 

Controlar pequenos gastos como por exemplo um final de semana que você deixou de sair, não é suficiente. Caso eles sejam muitos e frequentes, no final do mês faz diferença, portanto, dívidas como carros financiados ou compras mal planejadas de casas ou apartamentos são o verdadeiro perigo ao contrair obrigações.

Então não deixe de prestar atenção aos verdadeiros gastos, pois assim como os gastos menores, eles são grandes vilões que contribuem para o endividamento.

 

3 – Acompanhe a fatura do seu cartão

 

Acompanhe sempre a fatura do seu cartão. Não somente como forma de controlar seus gastos, como também monitorar a sua conta para sua própria segurança.

As faturas ajudam no descobrimento de possíveis fraudes. Com isso você pode pedir o estorno do valor e proteger sua conta bancária mais rapidamente, evitando perdas desnecessárias de tempo.

Você consegue verificar isso facilmente usando o Internet Banking ou até mesmo por SMS.

 

4 – Automatize seus pagamentos e aplicações financeiras

 

Livre-se do desconforto ao ter que aplicar recursos todos os meses. Automatize esse processo para que você acumule mais dinheiro e como consequência, ter maiores rendimentos.

Dessa maneira, o consumidor acaba adaptando-se as aplicações e moldando os gastos mensais para não ter a necessidade de parar seus investimentos em casos de emergência.

Nos casos das contas a pagar, é primordial evitar esquecimentos de prazos, dessa forma você não precisará se preocupar com as taxas altíssimas após o vencimento.

 

5 – Utilize listas para fazer suas compras

 

Evite as compras por impulso, que faz você gastar mais que deveria. Utilize uma lista de compras de fácil acesso.

Hoje em dia existem diversos aplicativos de celular que permitem que você acesse facilmente sua lista, além de não ter perigo de perdê-la.

Para que esse controle seja ainda melhor, aconselha-se fazer uma rápida checagem de tudo que você precisará comprar na semana.

Dessa forma fica mais fácil de estipular em quanto tempo você precisará comprar algum item novamente, evitando compras por impulso.

 

6 – Controle o desperdício

 

Fazer compras mensalmente pode propiciar um ambiente de desperdício, pois por se tratar de grandes quantias pode ser que haja compra em excesso.

Quanto mais se compra, mais você consumirá, além disso, pode ser que alimentos perecíveis estraguem nesse período.

Então o aconselhável é fazer compras semanalmente, dessa forma você terá um controle maior sobre quanto está gastando e o quanto será necessário comprar.

Sugere-se antes de fazer as compras, primeiro montar uma lista de tudo que será necessário comprar. Dessa forma você faz uma compra mais focada, evitando o exagero.

 

7 – Guarde dinheiro para emergências

 

Fundos de emergências são essenciais para custear imprevistos, como uma viagem de emergência ou comprar remédios para parentes que estão com problemas financeiros.

É necessário que você tenha a quantia acumulada de três meses a um ano e meio de trabalho. Esse dinheiro deve ser investido em títulos de alta liquidez, como o Tesouro Selic ou o LCI.

Para juntar esse dinheiro você pode iniciar com uma quantia baixa, por exemplo R$ 100,00 por mês, e após alguns meses ir aumentando gradativamente. Você se surpreenderá com a seu montante no final de alguns anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *